InglêsEspanholFrancêsItaliano
Vinho vegano: saiba identificar e diferenciá-lo dos demais tipos

Vinho vegano: saiba identificar e diferenciá-lo dos demais tipos

Vinho vegano: saiba identificar e diferenciá-lo dos demais tipos

Se o vinho é produzido a partir da fermentação da uva, como pode ser que ele nem sempre seja um vinho vegano? Essa é uma questão de extrema importância para aqueles que optam por não consumir nenhum produto de origem animal.

O processo de elaboração de vinhos é considerado bastante simples: as leveduras, naturais ou cultivadas, convertem os açúcares do suco da uva em álcool e CO2, dando origem aos mais diversos tipos de vinho.

Até esse ponto, aparentemente, uma pessoa que segue os princípios do veganismo poderia encher sua taça com a deliciosa bebida de Baco. Entretanto, o que muita gente não sabe é que nem todo vinho é considerado vegano. Isso acontece porque alguns procedimentos de clarificação da bebida podem utilizar componentes de origem animal.

Preparamos este conteúdo para que você saiba identificar os vinhos veganos e possa desfrutar da bebida tranquilamente. Acompanhe!

Se o vinho é produzido a partir da fermentação da uva, como pode ser que ele nem sempre seja um vinho vegano? Essa é uma questão de extrema importância para aqueles que optam por não consumir nenhum produto de origem animal.

O processo de elaboração de vinhos é considerado bastante simples: as leveduras, naturais ou cultivadas, convertem os açúcares do suco da uva em álcool e CO2, dando origem aos mais diversos tipos de vinho.

Até esse ponto, aparentemente, uma pessoa que segue os princípios do veganismo poderia encher sua taça com a deliciosa bebida de Baco. Entretanto, o que muita gente não sabe é que nem todo vinho é considerado vegano. Isso acontece porque alguns procedimentos de clarificação da bebida podem utilizar componentes de origem animal.

Preparamos este conteúdo para que você saiba identificar os vinhos veganos e possa desfrutar da bebida tranquilamente. Acompanhe!

Como funciona o processo de clarificação do vinho?

A clarificação é um procedimento de purificação da bebida, pelo qual um agente filtrante é adicionado ao barril. Esse agente, geralmente é uma proteína que, basicamente, coagula as matérias sólidas presentes no vinho (resíduos da casca, polpa, matéria corante, etc.) fazendo que se precipitem no fundo do tanque, sendo eliminadas antes do engarrafamento.

Quando essas matérias são retiradas, o vinho fica com um aspecto límpido e brilhante, tornando-se atraente aos olhos. As substâncias utilizadas para a clarificação podem ser tanto de origem mineral quanto animal.

É importante notar que os agentes filtrantes não permanecem no vinho, e apenas funcionam como um ímã para que as matérias sólidas sejam retiradas posteriormente. Contudo, o uso de proteína animal já é suficiente para excluir a bebida da lista de consumo dos veganos.

Quais produtos animais podem ser utilizados nos vinhos?

A utilização de componentes de origem animal para a produção de vinhos começou há muitos séculos nas vinícolas europeias. As claras de ovos, por exemplo, eram muito empregadas por monges para “afinar” a bebida.

As gemas, por sua vez, eram destinadas às freiras para a produção de doces. Não é à toa que Portugal é famoso pelas mais diversas sobremesas feitas à base de gema, como o pastel de Belém.

A albumina, proteína presente na clara do ovo, é conhecida por “colar” o vinho, retirando as partículas suspensas na bebida e dando um aspecto límpido e brilhante.

Outros elementos utilizados são a gelatina (proteína animal) e a caseína (proteína do leite). Além de melhorar o aspecto visual do vinho, esses componentes fazem com que ele fique pronto mais rapidamente, o que acaba barateando a produção.

Como identificar um vinho vegano?

Leia o rótulo e o contra-rótulo

Como você viu, as substâncias de origem animal utilizadas para a clarificação do vinho não estão presentes no produto final e nem mesmo os paladares mais afinados conseguem percebê-las.

Geralmente, apenas os vinhos orgânicos mencionam os componentes da produção na embalagem. Logo, nem sempre é possível se basear nos rótulos para verificar o uso ou não dessas proteínas.

Procure o produtor

Conhecer quem está por trás da fabricação do vinho pode deixar você livre para escolher seus exemplares favoritos. Entre em contato com o fabricante e peça informações sobre a fabricação.

As expressões “não filtrado”, “não afinado” e “métodos de autoclarificação natural” significam que nenhum agente clarificador foi utilizado na elaboração, liberando o consumo para os adeptos do veganismo.

Se restarem dúvidas, prefira os vinhos e espumantes tipo kosher. Essas bebidas são produzidas de acordo com critérios rigorosos do judaísmo e, entre eles, a lei de não utilização de alimentos de origem animal.

Além disso, os vinhos que utilizam o mineral bentonite para a cola das bebidas e os vinhos naturais (frequentemente nem filtrados nem colados) também são liberados para o consumo vegano.

Mesmo que não exista legislação sobre a rotulagem, alguns produtos podem conter estampas com essas observações na garrafa. Portanto, as ideologias e princípios que orientam as pessoas a seguirem o veganismo também são encontrados na degustação de vinhos.

Agora, que você sabe como identificar e diferenciar o vinho vegano dos demais, já pode apreciar essa bebida conscientemente e de forma despreocupada!

Fonte: Familia valduga

Siga-nos nas Redes Sociais:
RSS
Seguir por E-mail
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
Pinterest
Instagram
Comentários do Facebook
close

Siga-nos nas Redes Sociais!