A tradição do brinde

A tradição do brinde

Um pequeno ritual que atravessou culturas e permanece até os dias de hoje.

 

Depois de falarmos sobre o champagne, principal bebida usada em brindes em todas as ocasiões especiais. A Enovírtua traz para você a história dessa tradição tão presente em nossas vidas.

Desde um encontro especial, um casamento, alguns aniversários, bodas de prata ou ouro, Natal e Ano Novo, comemoração de vitórias em corridas de Fórmula 1, uma grande promoção, o ritual do brinde está sempre presente. É um costume universal e que transcende culturas.

Alguns brindam somente com bebidas alcoólicas, outros apenas com refrigerante. Não importa a maneira ou o tipo de bebida que se usa, o importante é celebrar o momento especial e compartilhá-lo com amigos e familiares. É claro que ele se torna mais especial se realizado com um bom champagne francês. No entanto, seu preço é um tanto proibitivo para o bolso. Vejamos o que nos conta a história sobre o ato de brindar.

Fonte:  http://prosaempoema.files.wordpress.com/2012/12/brinde.jpg

A própria origem do brinde não é clara. Na Grécia e na Roma Antiga era muito comum a tentativa de assassinar seus inimigos por envenenamento. Para provar que a bebida que estava sendo oferecida era segura, o anfitrião colocava uma pequena quantidade da bebida do convidado em seu próprio copo e ambos ingeriam simultaneamente. Antes disso, anfitrião e convidado tocavam seus copos como um símbolo de confiança. Acredita-se que o hábito de propor “saúde” tenha essa mesma origem.

Outra possibilidade remonta também aos gregos e fenícios, que erguiam suas taças como uma oferenda simbólica aos deuses para saciar sua sede. Os romanos adotaram um hábito semelhante, onde derramavam um pouco da bebida no chão – que no Brasil se transformou no popular “dar um gole pro santo”.
Mas, qual é a etiqueta para o brinde? Devemos tocar as taças ou apenas erguê-las? E o popular “tim-tim” que alguns falam em voz alta, é errado ou podemos falar sem problema algum?

Fonte:  http://vejario.abril.com.br/blog/vinoteca/files/2013/09/brinde.jpg

Você pode brindar à vontade, mas se quiser seguir a etiqueta, aqui algumas premissas:

1. Não é considerado educado bater com um talher no copo para pedir silêncio antes de propor um brinde.
2. Se houver um homenageado no brinde, ele não deve se levantar durante o brinde e deve ser o último a beber. Após todos beberem, a etiqueta diz que o homenageado deve levantar e apenas agradecer, sem discursos.
3. Quando houver um anfitrião no evento é de bom tom pedir sua permissão para fazer um brinde e deixar que ele faça um primeiro, caso deseje.
4. Quem propõe o brinde deve sempre estar de pé, a menos que esteja num pequeno grupo informal ou possua alguma deficiência física.
5. Não se deve “atravessar a mesa” para tocar o copo das outras pessoas em um brinde. O correto é encostar o copo apenas com as pessoas que estão ao seu lado ou erguê-lo de forma calorosa sem encostar no copo de ninguém, oferecendo simbolicamente a todos.
6. Ao oferecer um brinde é importante se certificar que todos estão com seus copos cheios.
7. Por o copo à mesa sem beber é considerado deselegante e sugere que a pessoa não compartilha do que foi oferecido no brinde. É aconselhado que, mesmo as pessoas que não bebam, tomem um pequeno gole em sinal de respeito.
8. O brinde, tradicionalmente, é feito com bebida alcoólica, mas os especialistas no assunto consideram perfeitamente aceitável brindar com água. Brindar com copo vazio é visto por muitos como algo rude ou sinônimo de má sorte.
9. Não se deve complementar o discurso de brinde de uma pessoa. Se você quer dizer algo, o correto é que após o brinde ser realizado você proponha um outro brinde.

Sobre falar “tim-tim” antes do brinde não há nada em específico nos guias de etiqueta internacionais, mas em algumas matérias é dito como algo redundante e pouco refinado.
Propor o brinde usando em outro idioma também não é problema. Apesar da palavra “saúde” ser a mais utilizada, em alguns países se brindam “à vida” ou se mantém tradições seculares, como na Dinamarca e na Noruega onde o brinde usa a palavra “caveira”, remontando ao costume Viking de beber cerveja no crânio de seus inimigos.
As formas mais famosas são:
• Alemanha: Prost
• Brasil e Portugal: Saúde
• Dinamarca e Noruega: Skäl (se pronuncia “Skol”, do Viking “caveira”)
• Espanha: Salud
• Estados Unidos e Inglaterra: Cheers
• França: Santé ou Salut
• Israel: I’chayim (do ídiche “à vida”)
• Itália: Salute
• Rússia: Na Zdorov (se pronuncia “Nastrovie”)
• Nunca diga “tim tim” no Japão, senão passará vergonha, pois essa onomatopeia, criada a partir do barulho das taças, é palavrão no Japão. É muito comum brasileiros fazerem carão na terra do Sol. Cuidado!!! (nota Enovírtua)
Uma coisa é certa: brindar é muito prazeroso. Celebre sempre que possível. Cheers!
Autor: gemma.amor

Fonte: http://www.paneladebarros.com.br/2011/12/29/a-origem-do-brinde/

Comentários do Facebook
FAÇA PARTE DO CLUBE ENOVIRTUA

Receba o ebook EnoExpert, brindes e descontos em nossa loja de vinhos

No Comments

Give a Reply

Seja um membro do clube Enovirtua

Receba o ebook EnoExpert, brindes e descontos em nossa loja de vinhos.