InglêsEspanholFrancêsItaliano
Especial Uvas Italianas – Capítulo 3

Especial Uvas Italianas – Capítulo 3

Uvas Italianas – O que são a Uva e a Vinha?

 

No presente capítulo, abordaremos a uva e a vinha em si, seus componentes, nomes científicos, frutos, sementes, enfim, tudo aquilo que nos permita distinguir de maneira mais técnica uma videira produtora de vinho e uma videira que produz uvas de mesa.

A Planta da Uva

A vitis vinifera, comumente conhecida como vite europea ou, mais apropriadamente, vite euroasiática, é uma planta arbustiva da família das Vitáceas, antigamente chamada de Ampelidaceas: desta planta se extraía geralmente a uva e o vinho, um setor importantíssimo e lucrativo da produção ortofrugívera. Muitas espécies de vinhas são geralmente subdivididas em em dois subgêneros: vite Muscadinia e vite Euvitis.

Vitis Vinifera
Fonte: http://www.bombayharbor.com/productImage/0681591001279243561/Grape_Seed_Extract_Vitis_Vinifera_Extract_100_Natural.jpg

Vite Muscadinia
Fonte: http://www.sallybernstein.com/food/single-articles/muscadines.jpg

As várias espécies estão reunidas em três grupos com base em suas origens: vitis americana, vitis asiática oriental e vitis euroasiática (compreendendo uma única espécie, a Vitis vinifera). A Vitis vinifera compreende duas subespécies: a Vitis vinifera silvestris (que englobam a vinhas selvagens da Europa central e meridional, da Ásia ocidental e da África setentrional) e a Vitis vinifera sativa (que englobam as vinhas cultivadas). As vinhas cultivadas podem ainda se subdividir em vinhas orientais (vinhas cáspicas e antasiáticas) e vinhas mediterrâneas (vinhas pônticas e ocidentais).
No que diz respeito às raízes, de acordo com a planta de vinha, ela deriva de semente ou enxerto e se distinguem:
Raízes densas, ou seja, aquelas que derivam de sementes e das quais derivam as de ordem inferior e de menor dimensão.
Raízes temporárias, isto é, as originadas por enxerto, normalmente perto do nódulo; são do tipo fragmentadas com desenvolvimento homogêneo e das quais derivam as de ordem inferior.

Fonte: http://www.ilsussidiario.net/img/Emmeciquadro/47/Bonati_03a_albero_ok.jpg

O caule (fusto) ou cepa da vinha possui um aspecto retorcido e é envolto pela casca que se esfacela longitudinalmente. O caule da vinha é vertical, porém, pode apresentar diversas inclinações de acordo com a forma de cultivo. As ramificações são chamadas de brotos (pampino) quando são herbáceas, galhos (tralci) quando são lignificadas (enxertos quando são destacados da planta depois da poda). Se derivam de um ramo de um ano são denominadas cacchi ou polloni se derivam de um tronco velho.

Fonte: http://www.icsantulussurgiu.it/Santulus/Lavori/Vite_e_uva/ceppo.jpg

Fonte: http://agroambiente.info.arsia.toscana.it/docs/lab/Targionia%20vitis/images/dscn3689.jpg

Fonte: http://agroambiente.info.arsia.toscana.it/docs/lab/Targionia%20vitis/images/dscn3688.jpg

Os galhos são constituídos de nós e entrenós que variam em número e comprimento. As folhas da vinha são simples, distintas e alternadas. São formadas por um talo de diversos comprimentos e uma lâmina espalmada com cinco nervuras primárias que podem dar origem a lóbulos separados (folhas de forma inteira, trilobular ou pentalobular). Além disso, as folhas são assimétricas e heterofilas, isto é, sobre um mesmo galho podemos encontrar folhas de formas diversas.

 

Fonte: http://cdn1.stbm.it/pianetadonna/gallery/foto_gallery/cucina/ricette-di-cucina-greca/foglie-di-vite.jpeg?-3600

Fonte: http://effegua.myphotos.cc/Racconti/Immagini/vite%20foglia.jpg

Fonte: http://www.comune.villachiara.bs.it/script/ParcoOglio/disegni_piante/dis_piante_14.jpg

Fonte: http://www.dadalindo.it/public/83809836_vite_rossa_foto1.jpg

Fonte: http://static.olioevino.org/uva-e-olive/curiosita-uva-/foglia-uva_O1.jpg

A folha pode ser recoberta de pelos. Na vinha encontramos somente brotos que possuem origem no meristema primário e podem ainda ser brotos recentes, hibernantes ou normais e latentes. Os cirros são órgãos de sustentação volúveis: herbáceos durante o verão, lignificam com o fim do ciclo vegetativo. As flores da vinha, ao contrário, não são isoladas, mas reunidas para formar uma florescência, denominada cacho composto, ou melhor, raminhos compostos ou espiga, inserida sobre o galho em posição oposta à folha. A florescência é constituída de um eixo principal sobre o qual os raminhos, divididos em várias ordens, sendo o último chamado de pedestal e carrega a flor.

Fonte: https://c2.staticflickr.com/6/5036/5879934033_edc4637386_z.jpg

Fonte: http://www.malibranvini.it/public/news/DSC01772.JPG

Fonte: http://www.winesitaly.it/images/formazione/a01.jpg

O número de flores por cacho é muito variável (até 100). As flores são hermafroditas com cálice de 5 sépalas e corola de 5 pétalas; cinco delas são ainda estames; o ovário é bicapilar e contém quatro óvulos. De acordo com a variedade dos órgãos masculinos e femininos, em uma vinha é possível encontrar flores hermafroditas, estaminíferas e pistilíferas. Além desses tipos fundamentais, pode-se encontrar igualmente as do tipo intermediário. Os cachos podem ter formas diversas de acordo com a variedade. O fruto da vinha é a baga, mais comumente chamada de UVA, constituído de um epicarpo ou bucha, de mesocarpo ou polpa (tecido mole ou sucoso) e de endocarpo (tecido membranoso no qual estão contidas as sementes). Os frutos novos são dispostos sobre a haste que formam com ramificações do cacho, o talo. A forma, a dimensão, a cor e o sabor variam de acordo com a variedade. O fruto da vinha, a UVA, é o produto de estação que possui uma conservabilidade limitada como produto fresco, sendo os bagos constituídos de uma polpa sucosa.

Fonte: http://www.agraria.org/vini/dolcettovitigno.jpg

Fonte: http://www.darapri.it/immagini/nuove_mie/spumante/imm_spum/acinouva.jpg

Fonte: http://www.giovannipagano.eu/ipertesti/geografia/lombardia_2/geografia/flora/images/partidellavite.jpg

Fonte: http://www.applicazioni.me/tuttodisegni/files/2011/08/uva.jpg

Fonte: http://www.agraria.org/coltivazioniarboree/vitegrappolino.JPG

A uva pode ser destinada ao consumo fresco ou à elaboração para a produção de vinho, que representam indubitavelmente os setores de maior importância; esta pode ainda ser empregada para:
– Sucos límpidos;
– Vinagre natural para acrescentar às saladas;
– Produtos conservados em álcool;
– Destilação;
– Uvas passas.
As folhas em decocção são usadas como adstringentes.

No próximo capítulo, abordaremos as principais uvas para a produção de vinho e as uvas tradicionalmente chamadas de mesa.

Até lá!!!

 

Siga-nos nas Redes Sociais:
RSS
Seguir por E-mail
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
Pinterest
Instagram
Comentários do Facebook
close

Siga-nos nas Redes Sociais!