InglêsEspanholFrancêsItaliano
Especialistas ensinam como harmonizar queijos e vinhos

Especialistas ensinam como harmonizar queijos e vinhos

No dia 14 de julho o Country Club de Apucarana realiza o tradicional jantar de Queijos e Vinhos. E para entrar no clima o TNOnline convidou dois sommeliers e uma chef de cozinha para dar dicas sobre este universo gastronômico tão irresistível e saboroso. Nesta série de reportagens você vai aprender como harmonizar vinhos com queijos e pratos variados, vai descobrir como a região onde a uva é cultivada influencia no sabor da bebida, além de conhecer algumas técnicas de degustação. Então, vamos lá!

Descubra como harmonizar queijos e vinhos

O inverno começa oficialmente na próxima quinta-feira, 21 de junho. E quando a temperatura cai, é natural procurar algo delicioso para comer e uma bebida que ajude a esquentar o corpo. Uma boa sugestão, sobretudo no inverno, é a harmonização entre queijos e vinhos.

Para não ter erro, primeiro é preciso conhecer os tipos de queijos. O sommelier Alessandro Teixeira de Souza, de São Paulo, explica que existem alguns critérios que classificam o queijo de acordo com o sabor, tipo de leite, aroma, textura , teor de gordura, teor de umidade, tipo de casca e tratamento de massa.

“O critério de classificação mais utilizado é o grau de maturação que define o tipo de queijo”.

Partindo do critério de maturação, a chef de cozinha Claudia Biazzi, de Apucarana, destaca que os queijos são denominados como frescos, massa mole, massa semidura, massa dura e fundidos. E são essas características que vão definir qual tipo de vinho será o ideal.

“A harmonização de queijos e vinhos será agradável ao paladar de acordo com a acidez do vinho junto com o graxo do queijo”, explica a chef.

Já o sommelier e wine educador, Willian Máximo, de Londrina, ensina que no grupo de massa mole estão inseridos os queijos brie, mozarela de búfala, vamembert e queijo de cabra fresco. Semiduros incluem gouda, gruyère, provolone e maasdam. Já o duros são os do tipo grana padano, manchego e pecorino. E os azuis são gorgonzola, stilton e roquefort.

Máximo destaca que os vinhos espumantes, brancos e rosés são uma ótima opção para harmonizar com queijos, por conta da acidez que ajuda a limpar a untuosidade (aspecto gorduroso) do queijo, proporcionando uma agradável sensação na boca.

“Os tintos também podem ser uma boa companhia desde que não sejam muito alcoólicos e com taninos moderados, pois o excesso de adstringência nos tintos pode ser potencializada na presença de sabores lácteos”, acrescenta.

Sugestão

Confira abaixo as sugestões dos especialistas para fazer uma combinação formidável entre queijos e vinhos.

Queijos de massa mole pedem espumantes feitos no método tradicional, como champagne, cava, franciacorta e claro os excelentes espumantes brasileiros brut produzidos no método champenoise.
Para acompanhar queijos semiduros, vinhos brancos alemães da uva riesling em sua versão seco e meio-seco ou até mesmo um bom vinho da uva torrontés que é muito cultivada na região de Salta na Argentina. Um vinho tinto da uva pinot noir também dará uma excelente combinação.

Queijos duros podem harmonizar bem com alguns tintos feitos da uva sangiovese italiana, como por exemplo os chiantis. Vinhos tintos de uvas como merlot e tempranillo, que revelam caráter frutado, podem ser uma boa compatibilização.

Combinação clichê, mas certeira, são os queijos azuis com os vinhos que possuam boa acidez e doçura, com por exemplo os vinhos de sobremesa colheita tardia e o vinho do porto tawny.
Também vale montar uma tábua de queijos variados como brie, cheddar, parmigiano, roquefort com um vinho leve, elegante com boa fruta como tempranillo ou um malbec podendo assim provar vários tipo de queijos com esses vinhos.Sugestão

Confira abaixo as sugestões dos especialistas para fazer uma combinação formidável entre queijos e vinhos.

Queijos de massa mole pedem espumantes feitos no método tradicional, como champagne, cava, franciacorta e claro os excelentes espumantes brasileiros brut produzidos no método champenoise.
Para acompanhar queijos semiduros, vinhos brancos alemães da uva riesling em sua versão seco e meio-seco ou até mesmo um bom vinho da uva torrontés que é muito cultivada na região de Salta na Argentina. Um vinho tinto da uva pinot noir também dará uma excelente combinação.

Queijos duros podem harmonizar bem com alguns tintos feitos da uva sangiovese italiana, como por exemplo os chiantis. Vinhos tintos de uvas como merlot e tempranillo, que revelam caráter frutado, podem ser uma boa compatibilização.

Combinação clichê, mas certeira, são os queijos azuis com os vinhos que possuam boa acidez e doçura, com por exemplo os vinhos de sobremesa colheita tardia e o vinho do porto tawny.
Também vale montar uma tábua de queijos variados como brie, cheddar, parmigiano, roquefort com um vinho leve, elegante com boa fruta como tempranillo ou um malbec podendo assim provar vários tipo de queijos com esses vinhos.

Jantar do Country
Este ano à direção do Country Club de Apucarana decidiu retomar o tradicional jantar de queijos e vinhos e adianta que está será a melhor edição de todos os tempos. Neste ano, o evento contará com um cardápio de dar água na boca, com animação da Banda Inox.

Confira o menu.
Entradas
Estação de queijos, frios e antepastos. Para a noite toda
Queijos:
– Gruyer e gorgonzola.
– Queijo Estepe e Golda.
– Queijo brie com damasco e amêndoas.
– Queijo coalho grelhado com mel de cana.
– Queijo de bufala a capresse.
– Queijo bolinha e provolone na tina com azeitonas.
– Queijo parmesão.
– Queijo frescal com pimenta.
– Fund de queijo com pão Italiano.
– Charutinhos de queijo com rúcula.
– Tina com brusqueta, pão de queijo e crostatas.
– Disco gg com (salames, chester, copa e lombo canadense) decorado com frutas frescas.
– Presunto parma com figo.
– Carpaccio em balsamo de alcaparras.
– Croissant recheados.
– Barquetes de frango.
– Palmito, aspargo e alcachofra no vinagrete.
– Salada Italiana com bacalhau.
– Tina com uvas.
– Cerejas ao licor.
– Favos de mel

Prato quente:
2 tipos de Risoto

Sobremesa:
2 tipos de sobremesas
Alvorada:
Sopa de agnoline com crótons.

Ingresso: Últimos convites do primeiro lote a R$ 160. Segundo lote a R$ 175.

 

Fonte:  TNOnline

 

Comentários do Facebook