Inglês Espanhol Francês Italiano
Dicas de Harmonização de Vinhos

Dicas de Harmonização de Vinhos

Dicas de Harmonização

 

 

• ALHO-PORÓ GRATINADO: Brancos secos e aromáticos, como Gewürztrarniner da A’sácia ou da Hungria, ou Riesfing australiano;

• ALMÔNDEGAS: Tintos meio encorpados, como Chianti Classico, Côtes du Rhóne ou Minervois;

• AMEIXAS SECAS: Doces fortificados e concentrados, como Banyuls ou Porto tawny, ou mesmo Sauternes;

• AMÊNDOAS TORRADAS: Aperitivos secos com travo, como um xerez fino ou Sercial Madeira;


• ANCHOVAS EM CONSERVA: Tente xerez fino ou manzanilla, Ribeiro branco, rosé espanhol ou Muscadet sur lie;

• ANTEPASTOS: Tintos ou brancos leves, italianos (como Dolcerto ou Verdicchio); ou um rosé seco¨;

• ARENQUE: Brancos animados mas não muito declarados, como Muscadet sur lie ou Aliaoté; marinado: Riesling Kabinett alemão ou xerez fino;

• ASPARGOS: Sauvignon Blanc animado como os do Chile ou de Bordeaux; Mosel Kabinett ou Chardonnay Jovem, quando os aspargos são servidos com manteiga derretida; ou um tinto Cabernet Franc, como Anjou-Viliages;

• ATUM: Tintos suaves como Pinot Noir ou Merlot do Novo Mundo, ou Chinon, ou um branco intenso como Chardonnay da Califórnia;

• AZEITONAS: Xerez fino ou manzaMla, ou Riesling,- usadas como ingredientes de pratos: tintos herbáceos, como os de Provence;

• BACALHAU FRESCO: Brancos não muito frutados, de meio a muito encorpados, como Mâcon ou Rhône branco;

• BACALHOADA: Brancos densos e bem secos, como Chablis premier cru, ou tintos jovens como Sancerre;

• BANANA ASSADA, FLAMBADA OU EM CHIPS: Brancos doces equilibrados, como Loupiac ou Muscat de Beaumes-de-Venise;

• BERINJELA RECHEADA: Tintos aromaticos e herbáceos, como Bandol ou Côtes du Roussillon;

• BOEUF A LA BOURGUIGNONNE: Pinot Noir muito encorpado, como o Gevrey Chambertin ou algum do oeste da Austrália;

• BOLO FLORESTA NEGRA: Doces intensos, como Trockenbeerenauslese, ou, para contraste, Sparkling Shiraz australiano;

• BOLO OU SORVETE DE CAFÉ: Moscatéis doces, em especial os fortificados como o moscatel licoroso de Rutherglen;

• BOUILLABAISSE:Roses de meio a muito secos, como Tavel ou Rioja rosado, ou um herbáceo branco do sul da França;

• BRESAOLA: Tintos italianos suculentos e meio encorpados, como Chianti jovem ou Varpolicella Classico;

• BROCOLIS AO MOLHO MORNAY: Evite Sauvignon e Cabernet herbáceos; experimente Muscadet sur lie ou Blanc-Villages de Mâcon;

• CAESAR SALAD: Brancos plenos de sabor, especialmente Charodonnays como os da California;

• CARANGUEJO: Excelentes brancos muito encorpados, como Côte de Beaune, Viognier, Riesling Spâtlese e champahhe vintage;

• CARNE DE CAÇA: Tintos refinados, de meio a muito encorpados, especialmente Pinot Noir (inclusive Borgonha) e Syrah (indusive Rhônes do norte da França);

• CARNE ASSADA: Tintos da maior qualidade;

• CARPACCIO: Tintos refrescantes (corno Doketto), tintos toscanos de qualidade (como Carignano) ou champanhe rosé;

• CASSULÈ: Tintos frutados, corno Morgon ou outros mais robustos, como Cahors, Corbieres e Copertino;

• CAUDA DE JACARÉ: Brancos refrescantes de sabor marcante, como Chablis premiei’ cru;

• CAVALINHA: Brancos secos, acidulados e refrescantes, como Muscadet. Gaillac ou Vinho Verde;

• CAVIAR: Champanhe, vintage ou non-vintage maduro;

• CEVICHE: Sauvignon penetrante e refrescante, como os dé Chile e Nova Zelândia, ou Vinho Verde seco;

• CHATEAUBRIAND: Tintos refinados, como um Bordeaux maduro ou um equivalente do Novo Mundo;

• CHEESECAKE: Moscatéis da Califórnia, Sauternes ou outro Semillon botritizado, ou Asti;

• CHILLI COM CARNE: Tintos muito encorpados, aromáticos, como Zin fandel e Shiraz.

• CHOCOLATE: Fortificados doces, corno Málaga ou Porto tawny de 10 anos, em sobremesas: Muscat de Beaumes-de-venise, Sauternes jovem;

• CHORIZO: Tintos frutados e aromáticos, como Navarra, Pinotage ou Grenache;

• CHUCRUTE: Brancos animados aromáticos, como Riesling alsaciano, Pinot Blanc ou Furmint húngaro;

• CHURRASCO DE PEIXE: Semillon australiano, acarvalhado ou não;

• CODORNA: Tintos excelentes mas não .muito pesados, como Pinot Noir do Novo Mundo, Bordeaux maduros ou Riojas ou Carmignano;

• COELHO: Tintos meio encorpados e vibrantes, como Chinon ou Chiroubles, ou aromáticos como Aglianico del Vulture e Côtes de Frotonnais;

• COGUMELOS: Tintos maduros plenos desabar e aveludados, como Borgonhas, Riojas, Bordeaux, ou Châteauneef-du-Pape branco;

• COMIDA CHINESA: Brancos animados e aromáticos, como Riesling Kabinett, Gewürztraminer e Sauvignon Blanc da Nova Zelândia, tintos leves como os mais leves Spátburgunders (Pinot Noir) de Baden, ou Pomerol;

• COMIDA THAI: Brancos secos e animados, como os dc vale do Loire, ou Sauvignon Blanc da Nova Zelândia;

• CONSOMÊS: Fortificados secos, como Jerez fino, montilado, ou Sercial Madeira;

• COQ AU VIN: Borgonha tinto ou Pinot Noir californiano de primeira linha;

• CORDEIRO ASSADO: Tintos excelentes, maduros, Como Bordeaux, seus equivalentes no Novo Mundo e Rioja; guisado: tintos com alma como, Nemea, Rioja e Corbières;

• COUVE-FLOR GRATINADA COM QUEIJO: Brancos muito encorpados, como Sémillon-Chardonnay australiano, ou um refrescante Sauvignon Blanc;

• CREME BRÜLÉE: Doces e intensos como Sauternes, Sémillon botritizado, moscatéis fortificados ou Ausbruch austríaco;

• CREPE SUZETTE: Brancos refrescantes e doces, como Orange Muscat Asti ou Vouvray espumante;

• EMBUTIDOS: Tintos jovens corno Beaujolais, Chinon, Cotes du Rhône ou Cabernet Sauvignon chileno; ou experimente Pinot Noir suiço ou Dôle;

• ESCARGOTS: Brancos secos animados e aromáticos, como Aligoté ou Chablis, ou rosés secos, ou ainda tintos jovens, como Chianti;

• ESPAGUETE: Com molhos de carne: tintos frutados e animados, como Chianti Classico ou Montepoiciano d’Abruzzo; á carbonara ou com molhos de creme: brancos refrescantes e animados, como Pinot Grigio ou Collio;

• FAISÃO: Tintos excelentes e maduros, em especial Pomerol e St.-Emilion;

• FEIJÃO COZIDO: Tintos maduros e encorpados, como Shiraz australiano ou Fitou;

• FILÉ MIGNON: Tintos bem estruturados, como Cabernet Sauvignon de primeira linha, Shiraz, Rhône, Nebbiolo ou Sangiovese;

• FOIE GRAS: Brancos doces concentrados, como Pino! Gris alsaciano, Sauternes, Jurançon e Recioto di Soave;

• FONDUE DE CARNE: Tintos bem frutados, como o Morgon ou os Cabernets da Califórnia ou de Coonawarra;

• FONDUE DE QUEIJO: Brancos maduros e bem estruturados, como Chardonnays da Califórnia;

• FRANGO: Frango em geral: muitos tipos de tintos e brancos (quanto mais requintado o prato, de mais qualidade deve ser o vinho, de um tinto Bergerac ao branco Saint-Véran, até claretes maduros como Pomerol); frango defumado: Chardonnay acarvalhado (do Novo Mundo, vin de pays, de Mâcon ou Chalonnaise);

• FRUTOS DO MAR: Brancos secos e animados, frisantes ou espumantes, corno Muscadet sur lie, Chablis, Bergerac, champanhe, Sauvignon Blanc do Novo Mundo ou Chardonnay levemente acarvalhado ou sem carvalho;

• GALETO: Os mesmos que acompanham frangos, mas com preferência para os brancos;

• GALINHA-D’ANGOLA: Pinot Noir refinado, como o Volnay ou o do Oregon, ou Borgonha branco maduro;

• GOULASH: Tintos frutados e robustos, como Costières de NÎnes, Primitivo e Tempranillo jovem;

• HADDOCK DEFUMADO: Brancos de boa qualidade, acarvaihados mas que não tenham muito gosto de madeira, como Graves ou Chardonnay do Novo Mundo, ou Sauvignon Blanc animado para contraste; numa emergência, um Languedoc rosé levemente seco;

• JAVALI: Rieslings alemães maduros, especialmente Aulese ou Spâtlese de Rheingau; ou muitos tintos, como Pommard ou Pinot Noir da Califórnia, Sangiovese ou Cabernet toscano, Pomerol, Bairrada ou Shiraz;

• LAGOSTA: Brancos de ótima qualidade e muito encorpados, como os Chardonnays de primeira linha: especialmente Borgonhas; servida com molhos elaborados: Condrieu, Graves branco maduro ou champanhe rosé;

• LAGOSTINS: Borgonbas brancos e clássicos, ou um seco aromático como o Albarinho;

• LÍNGUA: Tintos frutados, como Saumur-Champigny, Beaujolais cru, ou rosés secos muito encorpados, como Tavel;

• LINGUADO: Ótimos brancos como Borgonhas e equivalentes americanos, Graves ou Ameis;

• LINGÜIÇAS EM GERAL: Tintos com alma Como Cabernet do Leste Europeu, Côtes du Rhóne, Corbières, ZinfandeL Shiraz;

• LULA: Brancos secos refrescantes, como Bianco di Custoza ou Pinot BIanc, ou tintos meio encorpados e aromáticos, como Navarra ou Carignano del Sucis;

• MARISCOS: Brancos animados e secos, como Muscadet, Chablis e Verdicchio;

• MASSA AO PESTO: Brancos animados e aromáticos, corno o húngaro Härsievelü, Savennières, Chardonnay sem sabor de madeira e Torrontés argentino, ou um tinto maduro e substancioso, como St-Emilion;

• MASSAS EM GERAL: Com molhos cremosos: brancos de pouco a meio encorpados, como Chardonnay. de Alto Adige ou Chasselas suíço; com molhos de carne: tintos frutados, de meio a muito encorpados, como Dolcetto, Salice Salentino e Chianti Classico;

• MINESTRONE: Brancos muito encorpados, como Côtes du Rhône Blanc, Corbières, Marsanne, ou Chianti;

• MORANGOS: Com açúcar e creme: Sautemes ou Mosel; Beererenauslese e seus equivalentes do Novo Mundo, ou vinhos doces do vale do Loire, como Coteaux du Layon;

• MOUSSAKA: Tintos de meio a muito encorpados, como St-Chinian, e outros vinhos do sul da França, tintos da Toscana, Rioja crianza, Naoussa;

• NOZES: Brancos fortificados doces como Madeira, Porto tawny ou xerez oloroso;

• OLEAGINOSAS ASSADAS: Tintos consistentes e meio encorpados, como Merlot chileno ou Cabernet-Shiraz;

• OMELETES: Brancos secos, animados mas suaves, como Weissburgunder (Pinot Noir) de Baden ou Pinot Blanc alsaciano;

• OSSOBUCO: Tintos pouco taninosos, como Dolcetto d’Alba, ou Borgonhas tintos, ou brancos plenos de sabor como Hermitage;

• OSTRAS: Brancos secos, animados ou espumantes, como Chablis. Muscadet ou champanhes;

• PAELLA: Rosés meio secos como Navarra, Taveli e Lirac;

• PATO EM GERAL: Tintos intensos de sabor levemente de caça, como Nuits-St.-Georges, Pomerol, Pinot Noir de ameros, Salice Salentino ou Shiraz australiano; com laranja: brancos maduros, de secos a meio doces, como Chardonnay australiano, Auslese de Pfalz mesmo Barsac; defumado: Borgonha branco ou Vin de Pays de l’Ardèche Chardonnay, mas não Chardonnays do Novo Mundo;

• PERAS EM CALDA DE VINHO TINTO: Tintos fortificados doces, como Banyuls ou Rivesaltes, ou brancos como Riesiing Beerenauslese alemão;

• PERDIZ: Tintos maduros de grande qualidade, como Cotes de Nuits, Bordeaux de primeira linha, Rhône ou Brunello;

• PERU: Vários tintos e brancos secos, de Borgonhas ao Shiraz espumante;

• PIZZA: Tintos frutados e refrescantes. ou brancos animados e meio encorpados, como Chianti Rufino, Sangiovese, Refosco ou Chardonnay da California;

• POLVO: Tintos ou brancos herbáceos, com os de Provence, Grécia ou Rioja;

• PORCO ASSADO: Tintos de meio a muito encorpados, especialmente Riojas, ou brancos muito encorpados, como os Chardonnays californianos;

• PRESUNTO COZIDO: Tintos meio encorpados como Chinon, Givry ou Pinot Noir da Califórnia; ou brancos como Côte Chalonnaise;

• PRESUNTO CRU: Tintos de leve a meio frutados, como Fleurie, Barbera, Valpolicella Classico, Sancerre ou champanhes roses, ou ainda brancos secos, como Pinot Grigio
• PRESUNTO DEFUMADO: ver Presunto Cozido;

• PROFITEROLES: Brancos doces e concentrados, como Ausbruch austríaco, Muscat de Beumes-de-Venise e Orange Muscat;

• PUDIM DE LEITE: Os mesmos vinhos indicados para a crème brülée doces, intensos ou mesmo fortificados;

• QUICHES: Chardonnays, inclusive bons Borgonhas, ou Pinot Gris seco, ou Bergerac Blanc;

• RABADA: Tintos vigorosos como Châteauneuf-du-Pape, Ribera del Duero e Bruneilo di Montalcino;

• RATATOUILLE: Tintos aromáticos encorpados do sul da Franca, corno Fitou ou Zinfandel, ou brancos e roses secos com bom teor de acidez;

• SALADAS EM GERAL: Sauvignon Blanc, Riesling, Pinot Grigio ou os modernos portugueses brancos como Fernão Pires; ou experimente roses secos ou tintos leves como Chianti ou Gamay jovens;

• SALAME: Tintos levemente frutados como Bardolino, Anjou Rouge ou Beaujolais, ou Riesling seco australiano;

• SALMÃO: Brancos excelentes muito secos, como Chablis, champanhe, Chardonnay alsaciano ou do Novo Mundo, ou tintos leves, como Bourgueil ou Pinot Noir do Novo Mundo;

• SALMÃO DEFUMADO: Champanhe blanc de blancs, Chardonnay levemente acarvalhado ou brancos secos alsacianos;

• SALSICHAS: Tintos pouco frutados, como Spãtburgunder alemão ou Pinot Noir alsaciano;

• SARDINHA: Brancos secos muito animados como Vinho Verde, Soave Classico ou Mauzac vin de pays;

• SOPAS: Xerez seco, ou vinho adequado aos principais ingredientes dá receita;

• SUSHI: Brancos secos ou off-dry animados, como Riesling Kabinett alemão, Riesling seco australiano, champanhe ou Sauvignon Blanc chileno;

• TRUTA: Brancos secos de meio a muito encorpados, como Graves ou Chablis, ou pouco encorpados e off-dry, como Riesling alemão ou brancos secos austríacos;

• VIEIRAS: Excelentes brancos meio secos Ou secos, como Borgonhas, Vouvray demi-sec ou champanhes.

Fonte: Joana Simon, Vinho e Comida.

 

FAÇA PARTE DO CLUBE ENOVIRTUA

Receba o ebook EnoExpert, brindes e descontos em nossa loja de vinhos

No Comments

Deixe uma resposta

Seja um membro do clube Enovirtua

Receba o ebook EnoExpert, brindes e descontos em nossa loja de vinhos.