InglêsEspanholFrancêsItaliano
A Diferença das Bolhinhas… Espumante, Champagne, Prosecco?

A Diferença das Bolhinhas… Espumante, Champagne, Prosecco?

Espumante, Champagne, Prosecco… Qual a diferença?

A definição de espumante é genérica, e dentro dela se abre um verdadeiro e grande mundo de “bolhinhas”. A característica comum a todos os espumantes é exatamente as “bolhinhas” (bollicine em italiano, amo essa palavra!) que são produzidas pelo gás carbônico, um componente desses tipos de vinho que se desenvolvem naturalmente no seu processo de fermentação.

Os espumantes são tantos e possuem tantas diferenças entre eles, e para esclarecer vou começar falando sobre o “champagne”.

O “champagne” é um espumante feito com o método Clássico, conhecido também como “Champenoise” ou “Tradicional”, cuja segunda fermentação ocorre dentro da própria garrafa. São utilizados somente três tipos de uva: a “Pinot Noir”, a “Pinot Meunier” e a “Chardonnay”, cultivadas exclusivamente na região de “Champagne”, a 150km de Paris. Portanto, apenas o vinho espumante produzido nessa região por empresas autorizadas é que podem ser chamados de “champagne”.

Espumantes

O “prosecco” é outro tipo de espumante que utiliza o método “Charmat – Martinotti”, e sua segunda fermentação ocorre em tanques de aço. O tipo de uva utilizado como base para sua produção é a “Glera”, podendo ser misturada a outros tipos de uva com um percentual menor. Assim como o “champagne”, o “prosecco” só pode ser produzido em determinadas regiões da Itália, especificamente Veneto e Friuli-Venezia Giulia.

Existem outros espumantes que não são classificados como “champagne” ou “prosecco”, que podem utilizar qualquer um dos métodos (Clássico ou “Charmat”), e nem por isso são menos nobres que os dois citados acima. Inclusive tem um espumante italiano feito com o método clássico chamado Franciacorta que não deixa nada a desejar aos melhores champanhes franceses, e tem também a famosa “Cava”, que é o espumante espanhol feito com o mesmo método.

Os espumantes podem ser classificados quanto ao seu grau de doçura, e isso serve igualmente para os dois métodos. Se você quiser conhecer mais sobre os graus de doçura dos espumantes clique aqui!

Tem só mais uma coisa que eu gostaria de deixar claro, e que faz toda a diferença quando vamos ao mercado escolher nosso espumante. É a questão do preço! Às vezes não entendemos o motivo pelo qual um “champagne” é muito mais caro que um “prosecco”. A realidade é que não é por ser simplesmente “ O Champagne”, a diferença ocorre devido ao método utilizado para a sua produção.

Os espumantes que utilizam o método Clássico ou “Champenoise” possuem um processo de fabricação muito demorado, o que acaba tornando o produto caro. A fermentação ocorre dentro das garrafas, e é preciso esperar alguns anos até que estejam prontas para serem distribuídas no mercado.

Enquanto que os espumantes que utilizam o método “Charmat”, a sua segunda fermentação ocorre em tanques de aço e abrevia o tempo em que o produto pode ser disponibilizado no mercado, que é o caso do “prosecco”.

Espero ter esclarecido que espumante é um tipo de vinho, e que existem vários tipos de espumantes, entre eles o “champagne” e o “prosecco”. Se você quiser saber mais informações sobre os tipos de vinhos clique aqui!

Fonte: Sapore divino.

Siga-nos nas Redes Sociais:
RSS
Seguir por E-mail
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
Pinterest
Instagram
Comentários do Facebook
close

Siga-nos nas Redes Sociais!